Please reload

Posts Recentes

PROFESSIONAL CHAMPION - BUSINESS EXCELLENCE

December 15, 2018

1/4
Please reload

Posts Em Destaque

A Implantação do Método de Estabilização de Processos, como base para o aumento da Produtividade e Competitividade das Empresas

October 26, 2017

 1. INTRODUÇÃO 

 

    Muitas Empresas brasileiras entendem que o controle e a garantia da qualidade é responsabilidade dos colaboradores que trabalham no setor de Gestão de Qualidade e Processos. No entanto este paradigma deve ser quebrado, pois no cenário competitivo atual, a qualidade deve ser garantida a partir do contrato de compra da matéria prima e em cada processo até o estágio do produto acabado e pronto para o fornecimento ao cliente, todos os colaboradores são responsáveis pela qualidade do produto. As necessidades dos clientes devem ser perseguidas como prioridade número um, por todos. Dês da alta administração aos colaboradores do chão de fábrica, este conceito foi formulado no Japão com o Método de Estabilização de Processos que iremos apreciar neste artigo. Segundo Campos (1992).

 

    O grande objetivo das organizações humanas é atender às necessidades do ser humano na sua luta pela sobrevivência. Diante disto podemos também definir mais facilmente o que é qualidade. No contexto do que foi dito acima, um produto ou serviço de qualidade é aquele que atende perfeitamente, de forma confiável, de forma acessível, de forma segura e no tempo certo às necessidades do cliente.

 

    Para garantir a sustentabilidade econômica, social e ambiental dos resultados de uma empresa, cada pessoa deve gerenciar os processos sob sua responsabilidade usando a tabela de itens de controle correspondente aos resultados esperados pelas partes interessadas e, para cada processo. Por isso é preciso girar o PDCA (Planejar, Executar, Verificar e Agir) da Rotina, da Melhoria ou da Inovação, buscando atingir a desempenho benchmark (o melhor que se pode fazer). O Método de Estabilização de Processos auxilia na obtenção de resultados estáveis utilizando os recursos acima descritos.

A satisfação de uma pessoa em relação a um produto correspondente à diferença do que ela esperava era mais do que aconteceu, ocorre a insatisfação em relação ao produto. Quando ela recebe aquilo que estava esperando, ocorre a satisfação em relação ao produto segundo Slack (1999).

 

    Um produto é qualquer coisa que possa ser oferecida aos consumidores para satisfazer suas necessidades e expectativas e estes produtos integram três aspectos importantes: um conceito, que é um conjunto de benefícios esperados pelos clientes; o próprio produto, que proporciona os benefícios definidos pelo conceito; e um processo, que representa a produção industrial do produto. Essa expectativa é variável de pessoa para pessoa, tendendo a crescer com o tempo. Segundo Campos (2004), “o Gerenciamento da Rotina é a base da administração da empresa, devendo ser conduzido com o máximo cuidado, dedicação, prioridade, autonomia e responsabilidade. ” Como citado anteriormente esta busca também proporcionar autonomia aos setores para organizar seus processos através de padronização, execução do trabalho conforme o padrão, auditoria de padrões e tratamento de falha, caso acorra alguma falha no processo. E todas as atividades citadas anteriormente garantirão a estabilização dos processos.

 

 2. CONCEITOS DA ESTABILIZAÇÃO DE PROCESSO

 

    Segundo Dias (2002). “A estabilização dos processos de manufatura é uma busca constante das empresas que querem se manter competitivas. Entre as formas de busca da estabilização, as ferramentas da qualidade atuam como fortes e importantes aliadas.” Esta propriamente dita consiste em uma série de ações orientadas para a estabilidade dos resultados.

 

    Um dos objetivos da estabilização de processos aferir a célula operacional o empowerment, ou seja, o empoderamento e segundo Abrantes (79): “Podemos dizer que significa dar poder, autoridade ou liberdade às pessoas. Esta pratica é comum nos ambientes onde se pratica a liderança democrática, em oposição à autocrática. Apesar de boa e permitir maior produtividade.”Este busca proporcionar autonomia aos setores para organizar seus processos através de padronização, execução do trabalho conforme o padrão, auditoria de padrões e tratamento de falha caso acorra alguma falha no processo. E todas as atividades citados anteriormente garantirão a estabilização do processo, é o que vamos dissertar ao longo deste artigo. Contudo a Estabilização de Processos só será atingida quando operadores satisfeitos, comprometidos, bem treinados, realizarem todas as suas tarefas de forma segura, sem falhas, seguindo padrões bem definidos, operando em setores autogeridos e praticando o autocontrole através dos Itens de Ajuste que lhes forem atribuídos. Os supervisores das células devem atuar deforma prioritária e persistente para que os resultados planejados sejam atingidos. Seu papel de líderes, condutores, treinadores, é vital para o sucesso do negócio.

 

    O fluxo inicia com a identificação dos processos críticos que devem ser definidos através do planejamento da empresa. Para a realização deste planejamento podemos utilizar as reclamações de clientes geradas normalmente por falhas na qualidade do produto ou serviços, retrabalhos, perdas no processo que vão ocasionar aumento dos custos. Já na próxima etapa, de tratamento dos processos críticos, temos que identificar e tratar corretamente às causas críticas. Humana e economicamente é inviável tratar todas as causas crítica existentes em um processo, por este motivo temos que tratar e investir recursos nas causas consideradas mais relevante para o processo.

 

     Iniciando a atuação nas atividades que garantem a estabilização do processo, será alcançado o controle do processo quando obtivermos todas as atividades do “avião da qualidade” implantadas de forma efetiva e sistemática. Padrões Operacionais estão relacionados à elaboração de padrões para todas as atividades críticas consideradas mais relevantes a fim de garantir os resultados operacionais desejados para o processo. Não esquecendo de, envolver todos os operadores na elaboração deste.

 

     A etapa seguinte é o Treinamento. Devem ser identificados e planejados os treinamentos para cada atividade considerada crítica, buscando alcançar a manutenção dos resultados e garantir o conhecimento operacional. Segundo Campos (2004): “A produtividade e a competitividade são alcançadas através do conhecimento. Nada substituí o conhecimento”.

A etapa seguinte é a Execução Conforme os Padrões. Uma vez os padrões elaborados ou revisados e os colaboradores treinados, estes devem aplicar todo o aprendizado adquirido para evitar erros ou falhas e demonstrarem todo o seu potencial de habilidades, conhecimentos e educação quanto à execução de suas atividades.

 

    A próxima etapa é o Tratamento de Falhas (anomalias). Para assegurar a previsibilidade dos resultados, é preciso evitar falhas. Falhas são ocorrências indesejadas no trabalho, importantes ou não. Se na sua área de atuação as falhas são frequentes, é necessário tratar estas falhas que estão ocorrendo, atacando suas causas e evitando a sua reincidência. Detectam-se falhas medindo: resultados do processo e parâmetros controlados pelos operadores. Além disto, é importante que todos os operadores estejam alertas, segundo Campos (2004) estes devem utilizar os seus cinco sentidos (gosto, visão, audição, olfato, tato) e a sua inteligência permanentemente, em busca de falhas.

 

     A etapa seguinte é a Auditoria de Padrões. A confirmação de que os padrões implantados na rotina estão sendo cumpridos e de que eles estão sendo úteis aos operadores é feita através da Auditoria de Padrões. A auditoria de padrões é uma atividade essencialmente preventiva.

A última etapa está associada à obtenção de Resultados Estáveis. Para alcançarmos resultados estáveis em nosso processo, podemos utilizar o CEP (Controle Estatístico do Processo) que é um sistema de monitoramento, que utiliza amostras retiradas do processo, com o objetivo de verificar a presença de causas especiais, ou seja, causas que podem prejudicar a qualidade do produto produzido. Segundo Dias (2004), “o monitoramento dos processos através de inspeção por amostragem é uma maneira mais barata e despende menos tempo que a inspeção 100%.” Uma vez identificadas às causas especiais, podemos tentar resolvê-las, melhorando continuamente a qualidade do produto.

 

 3. CONCLUSÃO 

 

    Para a implantação do método de estabilização de processos é importantíssimo que seja definido o nível da qualidade a ser aplicada ao produto. Com a qualidade estabelecida, deve ser realizado um mapeamento de todo o processo para que sejam identificados os pontos críticos do processo. Com o mapeado e os pontos críticos definidos, estaremos aptos a tratarmos somente as causas especiais evitando a perda de tempo com os problemas que não influenciam na qualidade. Para realizar-se o controle efetivo do processo, tem-se que aplicar a padronização para manter-se uma gestão sobre estes principais fatores que influenciam diretamente na qualidade do produto. Quando se fala em padronização, não se pode esquecer que os treinamentos assim como a delegação de responsabilidades aos executantes são de fundamental importância para o correto atendimento aos procedimentos e normas estabelecidas Campos (2004) afirma que, “A PRODUTIVIDADE e a COMPETITIVIDADE são alcançadas por meio do CONHECIMENTO. Nada substitui o conhecimento.” Ainda segundo Campos (1992) "garantir a sobrevivência da empresa através de lucros contínuos, adquiridos pelo domínio da qualidade, afinal, quanto maior a qualidade, maior a produtividade". Por isso podemos dizer que o Método de Estabilização de Processos é a base para o aumento da Qualidade, Produtividade e Competitividade das Empresas.

 

Caso queira saber mais informações sobre, como implantar o Método de Estabilização de Processos entre em contato com a Melcont Consultoria, através do e-mail: comercial@melcont.com.br 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga